quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Vítimas dos nossos Ídolos




Habacuque 2:19 - Ai daquele que diz ao pau: Acorda! e à pedra muda: Desperta! Pode isso ensinar? Eis que está coberta de ouro e de prata, mas dentro dela não há espírito algum.


Uma das mensagens do profeta Habacuque deplora a condição daqueles que fabricam seus próprios ídolos: “Ai daquele que diz à madeira: “Acorda”. E à pedra muda: “Desperta”. Pode isto ensinar? Eis que está coberto de ouro e prata, mas no meio dele não há espírito algum” (Habacuque 2:19).

Antropólogos dizem que ainda não foi encontrada nenhuma comunidade completamente destituída de algum conceito de divindade. A relação dos deuses vai desde o monoteísmo, até o mais primitivo animismo; desde a espiritualidade mais transcendente, até os ídolos fabricados pelos próprios adoradores. Os escritores bíblicos sistematicamente alertam para os perigos dos ídolos.

Na idolatria contemporânea, os ídolos mais reverenciados não são as figuras cobertas de ouro e prata: os ídolos atuais são o ouro e a prata. Aqueles que acumularam os bens materiais desenvolveram uma sensação de onipotência, de segurança interminável. Até que a segurança se transforma em uma “bolha” financeira. E ela explode e leva em sua enxurrada riquezas individuais e os déficits das nações. Diante desses ídolos, é essencial ouvir a autoridade de Jesus Cristo: “Deus é espírito. E importa que os que O adoram o adorem em espírito e verdade”. Sem ídolos, sem bolhas, sem enganações.

Pr. Olavo Feijó

Nenhum comentário: